Refúgio

É um desenho que fiz com barro amarelo sobre um papel preto , uma obra que remete ao luto, mas também à luta. Pois mesmo em meio ao caos das mortes e sofrimento do luto, muitos povos foram atingidos por conflitos e tensões por conta da luta pelo território. No centro traz uma pessoa como se tivesse de saída, procurando um refúgio.
Escolhi esse nome , pois vi que nessa pandemia muitos povos recorreram às matas ou aldeias, áreas mais distantes das cidades para se refugiarem. Então, vejo nessa pandemia, uma mistura de luto, de luta e de refúgio.

Arissana Pataxó

Arissana Pataxó

Arissana Pataxó artista visual e professora, filha de Meruka, com quem aprendeu a cultivar a terra e de Wilson (em memória) com quem aprendeu a cativar com a arte. Sua produção artística revelada em diversas técnicas e suportes, reflete as vivências, seu povo e outros povos indígenas. Como professora, atua na educação básica e também com formação de professores indígenas. Possui graduação em artes plásticas e mestrado em estudos étnicos e africanos pela Universidade Federal da Bahia.